No Recife, 6ª, 7ª e 8ª varas trabalhistas passam por correição

Nos dias 7, 8 e 9 de novembro, as desembargadoras Dione Nunes Furtado da Silva (Corregedora Regional) e Eneida Melo Correia de Araújo (no exercício da Corregedoria) realizaram correições ordinárias em varas do Recife: a primeira magistrada visitou a 6ª Vara; e a segunda, foi às 7.ª e 8.ª VTs da capital.

Equipe da 6ª Vara do Trabalho do Recife

Na 6ª Vara do Trabalho do Recife, foi verificado o atingimento das Metas 1, 2, 5, 6 e 7 estabelecidas pelo CNJ para o ano de 2016. Em relação ao lapso temporal anteriormente correicionado, observou-se o aumento do quantitativo de novas ações em 13; o acréscimo na produtividade da Vara, vez que prolatadas a mais 62 sentenças, e 140 decisões de incidentes processuais, e homologadas a mais 260 conciliações; a manutenção do prazo médio para julgamento em 40 dias; a redução do prazo médio, no ano de 2016, para realização da audiência inicial, no sumaríssimo, em 30 dias, e, no ordinário, em 58 dias; da instrução, no sumaríssimo, em sete dias, e, no ordinário, em 34 dias; e na decisão, no sumaríssimo, em 34 dias, e, no ordinário, em 47 dias; a redução do prazo médio para realização, em outubro de 2017, da audiência inicial no rito sumaríssimo em 62 dias, e no ordinário em 34 dias, e na instrução em 17 dias; a redução do prazo médio na fase de conhecimento em 35 dias, na liquidação em 139 dias, e na execução em 179 dias; a redução na quantidade de processos na fase de conhecimento em 44, e na liquidação em 108, porém houve acréscimo na execução em 377; e o aumento do saldo remanescente em 811 processos;

Equipe da 7ª Vara do Trabalho do Recife

Já na 7ª Vara do Trabalho do Recife, destacou-se o atingimento das Metas 2, 5, 6 e 7 estabelecidas pelo CNJ para o ano de 2016. Em relação ao lapso temporal anteriormente correicionado, ficou constatada redução do quantitativo de novas ações em sete; acréscimo na produtividade da Vara, vez que prolatadas a mais 147 sentenças, e 124 decisões de incidentes processuais, e homologadas a mais 177 conciliações; aumento do prazo médio para julgamento em quatro dias; acréscimo do prazo médio, no ano de 2016, para realização da audiência inicial, no sumaríssimo, em 46 dias, e, no ordinário, em 45 dias; da instrução, no sumaríssimo, em 64 dias, e, no ordinário, em 88 dias; e na decisão, no sumaríssimo, em 54 dias, e, no ordinário, em 53 dias; aumento do prazo médio para realização, em outubro de 2017, da audiência inicial no rito sumaríssimo em 17 dias, e no ordinário em 34 dias; acréscimo do prazo médio na fase de conhecimento em 44 dias, na liquidação em 86 dias, e na execução em 196 dias; aumento da quantidade de processos na fase de conhecimento em 70, na liquidação em 118, e na execução em 202; e acréscimo do saldo remanescente em 629 processos; e

Equipe da 8ª Vara do Trabalho do Recife
 
Por fim, na 8ª Vara do Trabalho do Recife, registrou-se o atingimento das Metas 1, 2, 5, 6 e 7  estabelecidas pelo CNJ para o ano de 2016. No tocante ao lapso temporal anteriormente correicionado, observou-se: acréscimo do quantitativo de novas ações em 45; no tocante à produtividade da Vara, verificou-se redução das sentenças prolatadas em 52, porém foram prolatadas a mais 72 decisões de incidentes processuais, e homologadas a mais 211 conciliações; redução do prazo médio para julgamento em cinco dias; redução do prazo médio, no ano de 2016, para realização da audiência inicial, no sumaríssimo, em sete dias, e, no ordinário, em 59 dias; da instrução, no ordinário, em dois dias; e na decisão, no sumaríssimo, em dois dias, e, no ordinário, em 67 dias; contudo houve acréscimo na instrução, no sumaríssimo, em 18 dias; aumento do prazo médio para realização, em outubro de 2017, da audiência inicial, no sumaríssimo, em 16 dias, e da instrução em três dias, entretanto, houve redução da audiência inicial, no ordinário, em 97 dias; redução do prazo médio na fase de conhecimento em 42 dias, na liquidação em oito dias, e acréscimo na execução em 143 dias; redução da quantidade de processos na fase de conhecimento em 86, e na liquidação em sete, porém houve aumento na execução em 135; e acréscimo do saldo remanescente em 458 processos. A Juíza Titular registrou voto de agradecimento à magistrada Marília Leal Montenegro Spinelli pelo período em que atuou como Juíza Auxiliar (1º/9/2015 a 31/7/2017), ressaltando a qualidade, rapidez e eficiência do seu desempenho.