Selo 100% PJe

Vote na iniciativa do TRT6 que concorre ao Prêmio Cooperari

O Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT6) é um dos cinco finalistas na categoria 2º grau da segunda edição do Prêmio Cooperari. A premiação é promovida pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) com o objetivo de identificar as melhores iniciativas já realizadas nos TRTs que possam, eventualmente, ser aplicadas em âmbito nacional.

Dentre os 57 inscritos nas duas categorias (1º e 2º graus), o TRT6 foi classificado para a fase de votação popular com a iniciativa “SGFM: uma plataforma para automatização de concursos de remoção e zoneamento”. Qualquer pessoa pode votar até o dia 30 de junho, basta acessar o formulário de votação.

O sistema

O SGFM é um sistema de algoritmo desenvolvido pela Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação (STIC) do TRT6. Ele permite realizar, instantaneamente e de uma só vez, o procedimento de remoção de todos/as os/as magistrados/as, conforme antiguidade e preferências cadastradas na fase de inscrição, para as vagas originárias e decorrentes, inclusive em remoções cíclicas. Apesar de ter sido implantado no TRT-PE apenas para os concursos de remoção de magistrados/as titulares e substitutos/as, o sistema pode ser adaptado para concursos de remoção entre servidores/as e outros cargos, bem como para concursos de remoção nacional, entre tribunais. A ferramenta também permite a auditoria dos resultados pela administração e por todos/todas os/as inscritos/as, prevendo, entre as fases do concurso, períodos para impugnação. A plataforma possibilita remoções mais céleres e, por consequência, economia dos recursos orçamentários.

O desembargador Ivan Valença foi um dos idealizadores do projeto quando era o corregedor do Tribunal. Ele destaca ainda outras vantagens do SGFM, como “a possibilidade dos concorrentes acompanharem todas as etapas do processo de remoção, respeita a ordem de antiguidade dos juízes e juízas e oportuniza escolherem, com transparência e objetividade, a vara para a qual pretendem ser removidos.”

O magistrado destacou, ainda, o apoio da então presidente do Tribunal, desembargadora Gisane Barbosa, do juiz auxiliar da Corregedoria à época, José Adelmy, das servidoras Marianna de Assis e Karina Lustosa, bem como dos servidores da STIC Adriano Pinheiro, Alessandro Alcides. Alessandro Monteiro e Adilson Andrade.

Participe da votação até 30 de junho

Matéria de teor meramente informativo, sendo permitida sua reprodução mediante citação da fonte.
Divisão de Comunicação Social
Tribunal Regional do Trabalho da Sexta Região (TRT-PE)
imprensa@trt6.jus.br
Texto: Léo Machado / Arte: Simone Duarte